Expandir Player



Sua enciclopédia de rock progressivo

Participe tornando-se um seguidor

Receba atualizações via e-mail


Não temos links de downloads

Armageddon, Heavy Prog, United Kingdom

Banda de Heavy Prog formada na Inglaterra em 1974 que só lançou apenas um maravilhoso álbum auto-intitulado "Armageddon" em 1975 
lançado pela A&M Records.
Hoje consigo compreender melhor porque a Inglaterra na década de 1970 era considerada a meca do rock cujas bandas que vieram são as precursoras do hard rock, heavy metal e progressivo, fato que mostra sem embargos que a cena do rock setentista era repleta de bandas boas que simplesmente ficaram esquecidas, porque muitas não gravaram mais do que três álbuns 
isso no caso das que duravam mais tempo.
Neste caso encaixa-se o Armageddon que deixou um excelente álbum de estúdio, obrigatório na prateleira de qualquer colecionador que se preze, pois aqui a viagem é uma miscelânea, ou seja, um que nasce miscigenação do hard rock, blues, progressivo e jazz. A banda foi formada por Keith Relf  um dos fundadores do The Yardbirds (grande banda de blues rock britânica, por onde passaram mestres da seis cordas como: Eric Clapton, Jeff Beck e mais tarde com Jimmy Page se transformaria-se numa das maiores bandas de rock do planeta o Led Zeppelin). Depois da saída de Keith Relf do The Yardbirds, junto com outros ex-membros como Jim Mccarty e Paul Samwell-Smith criaram o banda Renaissance cuja sonoridade era filiada ao progressivo e os primeiros frutos dessa nova criação foram os álbuns Renaissance (1969) e llusion (1971) que marca o último trabalho com o membros mais importantes do grupo.
Mas o incansável Keith Relf decidiu que deveria continuar dando asas aos seus desejos e resolveu montar outra banda juntando-se primeiramente ao baterista Bobby Caldwell (membro do Capitain Beyond) e depois foram chegando os outros membros como: o baixista Luis Cernnamo (ex- Renaissance e Steamhammer) e o guitarrista Matin Pugh (ex-Steamhammer), mas ainda faltava algo de suma importância para este super grupo recém formado poder brilhar, um contrato com uma gravadora e como o baixista Cennamo era um grande amigo de Peter Frampton e a pedido do baterista ele intercedeu pelo grupo junto ao seu empresário e gravadora e o resultado final foi que a banda assinou contrato com a A&M Records.
Já com tudo pronto o grupo se mandou para o Olympic Studios localizado em Barnes um bairro do subúrbio londrino, na Inglaterra o coração e a alma do rock setentista e durante todo o tempo que ficaram internados para compôr e gravar seu primeiro álbum de estúdio o grupo pôs para fora toda a sua experiência e mostrou que o registro que estava prestes a nascer naqueles tempos era o fruto de uma reunião de gênios que usou e abusou do que já tinham em mãos, ou seja, o blues, o hard rock, o progressivo se entrelaçaram e desta fusão nasceu um som forte poderoso e inigualável fazia jus ao nome Armageddon cujo nome foi dado também ao primeiro álbum que foi as prateleiras em maio de 1975.
Resumido a cinco faixas eletrizantes o álbumn Armageddon mostrava um grupo cujo potencial criativo parecia ser inesgotável, pois faixas como como a instrumental "Buzzard" cujo mais de oito minutos onde o guitarrista Martin Pogh não vascilou mandando riffs de guitarra inteligentíssimos muito bem acompanhados pelo o baixo seqüenciado de Cennamos cuja bateria crescente e forte ditavam os rumos e os vocais ásperos e certeiro de Relf fazem tudo vibrar e rachar. na seqüência vem a bela balada Silver Tightrope onde o grupo emulou a sonoridade mais calma e cativante do Led Zeppelin, atingindo uma atmosfera sonhadora que cativa e emociona logo de cara, pois os vocais de Relf eleva o seu canto com ecos combinando com guitarras acústicas elétricas.
Na terceira faixa "Paths And Planes And Future Gains", o grupo ataca dando pedrada em pouco mais de quatro minutos cujos destaques ficam por conta das variações instrumentais cujo guitarrrista mais um vez se sobre saí com riffs e solos harmoniosos que vão conduzindo toda a peça, enfim esta é uma daquelas canções que mostra o valor de Martin Pugh e joga direto na cara da rapaziada o quanto o cara foi subestimado. Já em "Last Before Stands" é outra daquelas que empolgam com o seu crescente ritmo hard/blues alternando guitarras acústicas com as elétricas, marcado a pluralidade, ou seja, a versatilidade do grupo que culminou na criação de grandes riffs clássicos, penetrantes que tem muito a dizer e com a interpretação única de Keith Relf com seus vocais delirante criando incríveis harmônicas e suas forte seção rítmica apoiada em belas melodias de gaita exprimem o sentido do que é o rock do Armageddon e suas intenções.
Encerrando o álbum vem a faixa "Basking In The White Of The Midnight Sun" um conjunto entrelaçado pelo hard rock e pelo progressivo dividido em três partes: a) Warning Coming On, que é um breve começo, ou seja, um introdução instrumental com um pouco mais de um minuto para cair num poderoso blues rock de primeira marcado por frenéticos ritmos de guitarra acompanhados de solos rápidos, b) Brother Ego já vem marcada pela pegada cadenciada marcada por belos solos de guitarra lisérgicos no talo e a gaita de Keith Relf também cospe fogo no seu solo virtuose, e a bateria de Caldwell se destaca pela seção rítmca poderosíssima e o encerramento desta faixa vem a parte a terceira parte que é uma repetição do título e vem com uma instrumental furiosa, rápida e forte.
O álbum quando foi lançado obteve resposta positiva por parte da crítica e dos fãs, mas as vendas não espelharam o furor causado com a estréia, pois a banda não fez uma turnê extensa para promover o álbum que também foi lançado no Brasil na época (mas os resultados referentes a aceitação e a vendagem são desconhecidos e para quem se interessa em adquiri-los basta acessar a internet ou comparecer a loja especializada mais próxima de sua casa). Mas a sorte parecia estar abandonando Keith Relf que foi obrigado a retornar para a sua casa na Inglaterra devido aos problemas de saúde que o acometeram durante a sua caminhada pela sinuosa estrada do rock, e como sempre os abusos ligados a drogas e álcool começaram a destruir o grupo e devido a isso já não lançavam mais material novo.
E para piorar a situação Keith Relf dá adeus aos palcos e saí da vida para entrar para entrar para a história do rock devido a uma guitarra que tinha sido mal aterrada e por isso foi eletrocutado enquanto a tocava, e assim de forma precoce chegava o fim de uma banda promissora e suas aventuras pelo mundo do rock, mas que pelo menos deixa aos seus o seu legado, o testemunho de uma época brilhante e dourada cujo principal objetivo dos grupos além do óbvio (sucesso, grana entre outros), era buscar inovar, se diferenciar e mostrar a sua
habilidade que neste caso foi cumprida até o último segundo deste belo registro.
E para vocês que está iniciando a sua jornada pelo mundo do rock e ainda está começando a descobrir as bandas, os estilos e os álbuns clássicos anote ai no seu caderninho este disco, pois ele é fundamental para se compreender os caminhos que o rock pesado vem tomando nestes últimos anos, por isso e também pelo fato de que se você já cansou de ouvir sempre os mesmos nomes do rock e quer algo novo, diferenciado você pode encontrar aqui um novo caminho, ou seja, um novo som para curtir sem preocupações, pois trata-se de um álbum clássico que infelizmente ficou escondido e que agora aparece para receber o tratamento que merece e ter o seu lugar assegurado entre os grandes. Recomendadíssimo !!!
Lançamento em cd pela gravadora TRC Records














Armageddon 1975
FAIXAS:
1. Buzzard (8:16)
2. Silver Tightrope (8:23)
3. Paths And Planes And Future Gains (4:30)
4. Last Stand Before (8:23)
5. 5. Basking in the White of the Midnight Sun (11:24)
6. Warning Coming On (3:07)
7. Brother Ego (5:14)
8. Basking In The White Of The Midnight Sun Reprise (2:02)
Total Time: 41:10

MEMBROS:
- Keith Relf / lead vocals, harp, harmonica
- Martin Pugh / electric, acoustic guitars
- Bobby Caldwell / drums, vocals, piano, assorted percussion
- Louis Cennamo / bass, electric bowed bass guitars

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo !
Comente, opine, se expresse! esse espaço é seu!

Total de visualizações de página