Expandir Player



Sua enciclopédia de rock progressivo

Participe tornando-se um seguidor

Receba atualizações via e-mail


Não temos links de downloads

A Barca do Sol, Prog Folk, Brazil

"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.
"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.
"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da 
banda "Jethro Tull". 
Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), 
que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo.
"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.
Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso
e "João Carlos Pádua".
Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância".
"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.
Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos. 
Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos. 


"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.DISCOGRAFIA:
álbuns de estúdio
1974 - A Barca do Sol
1976 - Durante o Verão
1979 - Pirata

compilação

2000 - Dois Momentos: A Barca Do Sol / Durante O Verão
participação no LP de "Olivia Byington"
1978 - Corra o Risco

MAIS INFORMAÇÕES:


A Barca do Sol 1974
"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.
FAIXAS:
1. A Primeira Batalha (3:06)
2. Brilho Da Noite (4:01)
3. Arremesso (3:41)
4. As Boas Consciências (3:06)
5. Caminhão (4:27)
6. Lady Jane (2:24) 
7. Dragão Da Bondade (2:58) 
8. Alaska (3:31) 
9. Fantasma Da Ópera (2:44)
10. Corsário Satã (4:07)
11. A Barca Do Sol (3:13)
Total Time: 37:54

MEMBROS:
- Nando Carneiro / vocals and acoustic guitars
- Muri Costa / acoustic 6 & 12 string guitars and vocals
- Jacques Morelebaum / cello, violin and vocals
- Marcos Stul / bass
- Marcelo (Gordo) Costa / percussion
- Beto Resende / percussion, 6 & 12 string acoustic guitars and electric guitar
- Marcelo Bernardes / flute




Durante o Verão 1976
"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.
FAIXAS:
1. Durante O Verão (2:49)
2. Hotel Colonial (3:39) 
3. A Língua E A Bainha (2:50) 
4. Os Pilares Da Cultura (2:42) 
5. Karen (2:20) 
6. Memorial Day (4:15)
7. Banquete (3:46) 
8. Belladonna, Lady Of The Rocks ( 6:03)
9. Outros Carnavais (2:20)
Total Time: 33:41

MEMBROS:
- Nando Carneiro / vocals and acoustic guitars
- Muri Costa / acoustic 6 & 12 string guitars and vocals
- Jacques Morelebaum / cello, violin and vocals
- Marcos Stul / bass
- Marcelo (Gordo) Costa / percussion, drums
- Beto Resende / electric guitar, 6 & 12 string acoustic guitars, percussion,
- Marcelo Bernardes / flute




Corra o Risco 1978
Olivia Byington & A Barca do Sol
"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.
FAIXAS:
1. Fantasma da Ópera (3:16)
2. Lady Jane (3:15)
3. Corra o Risco (2:28)
4. Jardim de Infância (3:35)
5. Banda dos Corações Solitários (2:30)
6. Cavalo Marinho (2:40)
7. Lobo do Mar (3:36)
8. Água e Vinho (3:03)
9. Brilho da Noite (3:24)
10. Minha Pena Minha Dor (2:52)
11. Luz do Tango (3:24) 
Total Time: 35:06

MEMBROS:
Olivia Byington - Vocal
Jaques Morelenbaum - Violoncelo, Violino, Piano e Voz
- Nando Carneiro - Violão e Voz
- Muri Costa - Violão
- Marcelo Costa - Bateria, Percussão
- Beto Rezende - Percussão, Viola, Violão e Guitarra
- Alan Pierre - Baixo
- David Ganc - Flauta




Pirata 1979
"A Barca do Sol" foi uma banda brasileira de rock progressivo formada em 1973 no Rio de Janeiro, procuravam misturar o som progressivo com ritmos brasileiros e iniciou sua carreira como banda de apoio do cantor "Pery Reis". Também conhecida somente como a "Barca" é, seguramente, um dos expoentes máximos da música brasileira. Seu folk-rock inteligente e melodioso, com celos e flautas e as ótimas letras, faz da "Barca" item indispensável em qualquer séria coleção. Devido aos instrumentos utilizados seu som é geralmente comparado com o da banda "Jethro Tull".  Em 1974, a banda lançou seu primeiro álbum, um auto-intitulado lançado pela gravadora Continental, este álbum contou com a participação do compositor e multi-instrumentista "Egberto Gismonti" nas faixas "Arremesso" e "Alaska". Também em 1974, entrou para o grupo o então flautista "Richard Court" (Ritchie), que anos mais tarde se notabilizaria em sua carreira de cantor solo. Após uma participação em um especial para a TVE-RJ, "A Barca do Sol" começou a se tornar conhecida do público. Em 1976, o segundo disco foi lançado, também pela gravadora Continental, intitulado "Durante o Verão". Nesta época, houve uma alteração na formação da banda, saiu "Marcos Stull" (baixo) e "Marcelo Bernardes" (flauta) e entrou "Alain Pierre" (baixo) e David Ganc (flauta). Em suas apresentações, o grupo utilizava textos de poetas da chamada "Geração Marginal", particularmente de "Geraldo Carneiro", "Cacaso" e "João Carlos Pádua". Em 1978, os integrantes da "A Barca do Sol" participaram do LP, "Corra o Risco", que marcou a estréia da cantora "Olivia Byington". O disco contém sucessos do grupo, como "Lady Jane", "Fantasma da Ópera" e "Brilho da Noite", regravados pela cantora, além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto, "Cavalo Marinho" e "Jardim da Infância". Em 1979, o grupo lançou pelo selo Verão Produções Artísticas o álbum independente "Pirata". Em 1980, fez uma participação especial na faixa "Mais Clara, Mais Crua", do disco "Anjo Vadio", de "Olívia Byngton", vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.  Em 2000, foi lançado uma compilação produzida e remasterizada por "Charles Gavin" (Titãs), chamada de "Dois Momentos", com os álbuns "A Barca Do Sol" e "Durante O Verão", consecutivos.
1. Vô Mimbora Pru Sertão (1:05) 
2. Tereza Boca Do Rio (3:35)
3. Mercado Das Flores (4:03)
4. Cavalo Marinho (2:28)
5. Jando (5:36)
6. Jardim De Infância (4:35)
7. Desencontro (3:37)
8. Estrela (2:50)
9. Manoel (4:01)
10. Rio Preto (2:45)
11. Canção Pra Ela (2:43) 
Total Time: 39:05

MEMBROS:
- Nando Carneiro / vocals, acoustic 6 string guitar, eletric and acoustic pianos, acoustic 12 string guitar (2) and cavaquinho
- Muri Costa / vocals, acoustic guitar, electric piano (10), acoustic 12 string guitar (4), percussion (1, 2 & 5)
- Beto Rezende / electric guitar, acoustic 6 string guitar, 12 string acoustic guitar (10), percussion (1 & 9)
- David Gane / C & G flutes, piccolo
- Alain Pierre / bass
- Marcelo (Gordo) / drums, percussion, berimbau
convidados
- Olívia Byington / vocals (6)
- Children of the Instituto Nazareth / choir (6)
- Geraldo Sanfoneiro / accordion (10)


2 comentários:

Seu comentário é sempre bem vindo !
Comente, opine, se expresse! esse espaço é seu!

Total de visualizações de página