Expandir Player



Sua enciclopédia de rock progressivo

Participe tornando-se um seguidor

Receba atualizações via e-mail


Não temos links de downloads

Aorta, Psychedelic/Space Rock, United States

"Aorta" foi uma banda psicodélica americana formada em 1962 na cidade de Rockford, Illinois-Chicago. A banda foi formada por "Kal David" e membros da banda "The Exceptions". Seus membros eram "Kal David" (nascido "David Raskin" - vocal e guitarra), "Peter Cetera" (baixo, vocais), "Denny Ebert" (bateria e vocal) e "Marty Grebb" (saxofone, teclados, guitarra e vocais). "Kal David" deixou a banda em 1965, para se juntar ao "Rovin 'Kind", que viria a ser depois o "Illinois Speed Press", e foi substituído por "James Vincent" (nascido "James Vincent Dondelinger", em Chicago, mais tarde conhecido como "Jim Donlinger"). A banda era então conhecida como "The Exceptions". Eles lançaram vários singles em selos locais, e um EP , Rock and Roll Mass , na etiqueta "Flair", antes de "Marty Grebb" ter saido para se juntar a "The Buckinghams", sendo substituído por "Jim Nyeholt". "Denny Ebert" também deixou a banda e foi substituído por "Billy Herman". Como "The exceptions", "Vincent" (Donlinger), "Cetera", "Nyeholt" e "Herman" registraram vários singles pela "Capitol Records", mas "Cetera" pulou fora quando os outros membros expressaram o desejo de realizar mais material psicodélico. "Cetera" juntou-se a banda "The Big Thing", que depois tornou-se "Chicago Transit Authority" e mais tarde reduziu para apenas "Chicago". Em 1967 depois de recrutar "Bobby Jones" como o novo baixista, o grupo mudou seu nome para "Aorta", por um curto período também adicionaram "Hoagland" (nascido "Daniel Hoogland") no sax tenor. Com "Jim Donlinger" nos vocais, a banda gravou um single, "The Shape Of Things To Come", uma canção escrita por "Barry Mann" e "Cynthia Weil" que também foi incluída na trilha sonora do filme "Wild in the Streets" representado pelo grupo fictício "Max Frost and the Troopers". Depois disso "Aorta" assinou um contrato com "Dunwich Productions", uma empresa formada por "Bill Traut", eo single foi arrendado para lançamento pela "Atlantic Records".  Sob a gestão do produtor "Bill Traut", a banda assinou contrato com a "Columbia Records" para gravar seu primeiro LP que também foi produzido por "Donlinger". O álbum auto intitulado "Aorta", foi emitido no início de 1969, como parte de uma unidade da Columbia para promover "o som de Chicago". Nessa unidade estavam também "Chicago", "Illinois Speed Press", e "The Flock"  e chegou ao número 167 no ranking da revista "Billboard". O álbum foi descrito como um "registro surpreendente que mistura psicodelia, soul, jazz, folk e rock. "Aorta" era sólida por completo, com forte musicalidade, magia inventiva nas gravações de estúdio, excelentes canções com uma dose saudável de guitarra fuzz e maravilhosos arranjos de cordas. Nesse álbum podemos encontrar a faixa "Strange" (estranho) escrita por "Hoagland", antes de ter deixado a banda. A faixa "Ode to Missy Mxyzosptlk" alcançou vendas significativas. O grupo excursionou em turnês como apoio para bandas como "Led Zeppelin", "Janis Joplin" e "The Mothers of Invention", foi dada uma grande oportunidade de ser uma vitrine com intuito de impressionar os líderes da indústria da música no "Fillmore East", em Nova Iorque, no entanto, de acordo com "Donlinger", foi oferecido LSD pra banda por outros músicos antes do show, resultando em lhes dar o desastre de uma performance; que foi descrito como um "desastre de trem". "Jones", "Herman", "Donlinger", "Nyeholt" e "Tom" (baterista, irmão de "Donlinger"), juntou-se temporariamente com a banda "Rotary Connection", no entanto, eles então decidiram reformar a "Aorta", com os irmãos "Donlinger" e "Nyeholt" acrescentando "Michael Been" no baixo, guitarra e vocais. Em 1970 a banda gravou um segundo álbum, "Aorta 2", lançado pelo selo "Happy Tiger", em um estilo radicalmente diferente, inclinando-se mais para o "country rock" com conotações cristãs. Eles finalmente se separaram logo após esse lançamento. "Jim Donlinger" e "Michael Been", juntamente com o ex-membro "Marty Grebb" juntou-se à banda "Lovecraft" (anteriormente H. P. Lovecraft). Mais tarde "Michael Been" formou a banda "The Call" (A formação original da "Aorta" junto com um grande grupo da área de Chicago, o "Cryan 'Shames"). Mais tarde foi re-formada unicamente para fazer spots promocionais para as Forças Armadas dos Estados Unidos em um LP promocional muito raro. Seu primeiro álbum, "Aorta" de 1969, foi relançado em CD em 1996."Aorta" foi uma banda psicodélica americana formada em 1962 na cidade de Rockford, Illinois-Chicago. A banda foi formada por "Kal David" e membros da banda "The Exceptions". Seus membros eram "Kal David" (nascido "David Raskin" - vocal e guitarra), "Peter Cetera" (baixo, vocais), "Denny Ebert" (bateria e vocal) e "Marty Grebb" (saxofone, teclados, guitarra e vocais). "Kal David" deixou a banda em 1965, para se juntar ao "Rovin 'Kind", que viria a ser depois o "Illinois Speed Press", e foi substituído por "James Vincent" (nascido "James Vincent Dondelinger", em Chicago, mais tarde conhecido como "Jim Donlinger"). A banda era então conhecida como "The Exceptions". Eles lançaram vários singles em selos locais, e um EP , Rock and Roll Mass , na etiqueta "Flair", antes de "Marty Grebb" ter saido para se juntar a "The Buckinghams", sendo substituído por "Jim Nyeholt". "Denny Ebert" também deixou a banda e foi substituído por "Billy Herman". Como "The exceptions", "Vincent" (Donlinger), "Cetera", "Nyeholt" e "Herman" registraram vários singles pela "Capitol Records", mas "Cetera" pulou fora quando os outros membros expressaram o desejo de realizar mais material psicodélico.
"Cetera" juntou-se a banda "The Big Thing", que depois tornou-se "Chicago Transit Authority" e mais tarde reduziu para apenas "Chicago".
"Aorta" foi uma banda psicodélica americana formada em 1962 na cidade de Rockford, Illinois-Chicago. A banda foi formada por "Kal David" e membros da banda "The Exceptions". Seus membros eram "Kal David" (nascido "David Raskin" - vocal e guitarra), "Peter Cetera" (baixo, vocais), "Denny Ebert" (bateria e vocal) e "Marty Grebb" (saxofone, teclados, guitarra e vocais). "Kal David" deixou a banda em 1965, para se juntar ao "Rovin 'Kind", que viria a ser depois o "Illinois Speed Press", e foi substituído por "James Vincent" (nascido "James Vincent Dondelinger", em Chicago, mais tarde conhecido como "Jim Donlinger"). A banda era então conhecida como "The Exceptions". Eles lançaram vários singles em selos locais, e um EP , Rock and Roll Mass , na etiqueta "Flair", antes de "Marty Grebb" ter saido para se juntar a "The Buckinghams", sendo substituído por "Jim Nyeholt". "Denny Ebert" também deixou a banda e foi substituído por "Billy Herman". Como "The exceptions", "Vincent" (Donlinger), "Cetera", "Nyeholt" e "Herman" registraram vários singles pela "Capitol Records", mas "Cetera" pulou fora quando os outros membros expressaram o desejo de realizar mais material psicodélico. "Cetera" juntou-se a banda "The Big Thing", que depois tornou-se "Chicago Transit Authority" e mais tarde reduziu para apenas "Chicago". Em 1967 depois de recrutar "Bobby Jones" como o novo baixista, o grupo mudou seu nome para "Aorta", por um curto período também adicionaram "Hoagland" (nascido "Daniel Hoogland") no sax tenor. Com "Jim Donlinger" nos vocais, a banda gravou um single, "The Shape Of Things To Come", uma canção escrita por "Barry Mann" e "Cynthia Weil" que também foi incluída na trilha sonora do filme "Wild in the Streets" representado pelo grupo fictício "Max Frost and the Troopers". Depois disso "Aorta" assinou um contrato com "Dunwich Productions", uma empresa formada por "Bill Traut", eo single foi arrendado para lançamento pela "Atlantic Records".  Sob a gestão do produtor "Bill Traut", a banda assinou contrato com a "Columbia Records" para gravar seu primeiro LP que também foi produzido por "Donlinger". O álbum auto intitulado "Aorta", foi emitido no início de 1969, como parte de uma unidade da Columbia para promover "o som de Chicago". Nessa unidade estavam também "Chicago", "Illinois Speed Press", e "The Flock"  e chegou ao número 167 no ranking da revista "Billboard". O álbum foi descrito como um "registro surpreendente que mistura psicodelia, soul, jazz, folk e rock. "Aorta" era sólida por completo, com forte musicalidade, magia inventiva nas gravações de estúdio, excelentes canções com uma dose saudável de guitarra fuzz e maravilhosos arranjos de cordas. Nesse álbum podemos encontrar a faixa "Strange" (estranho) escrita por "Hoagland", antes de ter deixado a banda. A faixa "Ode to Missy Mxyzosptlk" alcançou vendas significativas. O grupo excursionou em turnês como apoio para bandas como "Led Zeppelin", "Janis Joplin" e "The Mothers of Invention", foi dada uma grande oportunidade de ser uma vitrine com intuito de impressionar os líderes da indústria da música no "Fillmore East", em Nova Iorque, no entanto, de acordo com "Donlinger", foi oferecido LSD pra banda por outros músicos antes do show, resultando em lhes dar o desastre de uma performance; que foi descrito como um "desastre de trem". "Jones", "Herman", "Donlinger", "Nyeholt" e "Tom" (baterista, irmão de "Donlinger"), juntou-se temporariamente com a banda "Rotary Connection", no entanto, eles então decidiram reformar a "Aorta", com os irmãos "Donlinger" e "Nyeholt" acrescentando "Michael Been" no baixo, guitarra e vocais. Em 1970 a banda gravou um segundo álbum, "Aorta 2", lançado pelo selo "Happy Tiger", em um estilo radicalmente diferente, inclinando-se mais para o "country rock" com conotações cristãs. Eles finalmente se separaram logo após esse lançamento. "Jim Donlinger" e "Michael Been", juntamente com o ex-membro "Marty Grebb" juntou-se à banda "Lovecraft" (anteriormente H. P. Lovecraft). Mais tarde "Michael Been" formou a banda "The Call" (A formação original da "Aorta" junto com um grande grupo da área de Chicago, o "Cryan 'Shames"). Mais tarde foi re-formada unicamente para fazer spots promocionais para as Forças Armadas dos Estados Unidos em um LP promocional muito raro. Seu primeiro álbum, "Aorta" de 1969, foi relançado em CD em 1996.Em 1967 depois de recrutar "Bobby Jones" como o novo baixista, o grupo mudou seu nome para "Aorta", por um curto período também adicionaram "Hoagland" (nascido "Daniel Hoogland") no sax tenor. Com "Jim Donlinger" nos vocais, a banda gravou um single, "The Shape Of Things To Come", uma canção escrita por "Barry Mann" e "Cynthia Weil" que também foi incluída na trilha sonora do filme "Wild in the Streets" representado pelo grupo fictício "Max Frost and the Troopers". Depois disso "Aorta" assinou um contrato com "Dunwich Productions", uma empresa formada por "Bill Traut", eo single foi arrendado para lançamento pela "Atlantic Records".  Sob a gestão do produtor "Bill Traut", a banda assinou contrato com a "Columbia Records" para gravar seu primeiro LP que também foi produzido por "Donlinger". O álbum auto intitulado "Aorta", foi emitido no início de 1969, como parte de uma unidade da Columbia para promover "o som de Chicago". Nessa unidade estavam também "Chicago", "Illinois Speed Press", e "The Flock"  e chegou ao número 167 no ranking da revista "Billboard". O álbum foi descrito como um "registro surpreendente que mistura psicodelia, soul, jazz, folk e rock. "Aorta" era sólida por completo, com forte musicalidade, magia inventiva nas gravações de estúdio, excelentes canções com uma dose saudável de guitarra fuzz e maravilhosos arranjos de cordas. Nesse álbum podemos encontrar a faixa "Strange" (estranho) escrita por "Hoagland", antes de ter deixado a banda. A faixa "Ode to Missy Mxyzosptlk" alcançou vendas significativas. O grupo excursionou em turnês como apoio para bandas como "Led Zeppelin", "Janis Joplin" e "The Mothers of Invention", foi dada uma grande oportunidade de ser uma vitrine com intuito de impressionar os líderes da indústria da 
"Aorta" foi uma banda psicodélica americana formada em 1962 na cidade de Rockford, Illinois-Chicago. A banda foi formada por "Kal David" e membros da banda "The Exceptions". Seus membros eram "Kal David" (nascido "David Raskin" - vocal e guitarra), "Peter Cetera" (baixo, vocais), "Denny Ebert" (bateria e vocal) e "Marty Grebb" (saxofone, teclados, guitarra e vocais). "Kal David" deixou a banda em 1965, para se juntar ao "Rovin 'Kind", que viria a ser depois o "Illinois Speed Press", e foi substituído por "James Vincent" (nascido "James Vincent Dondelinger", em Chicago, mais tarde conhecido como "Jim Donlinger"). A banda era então conhecida como "The Exceptions". Eles lançaram vários singles em selos locais, e um EP , Rock and Roll Mass , na etiqueta "Flair", antes de "Marty Grebb" ter saido para se juntar a "The Buckinghams", sendo substituído por "Jim Nyeholt". "Denny Ebert" também deixou a banda e foi substituído por "Billy Herman". Como "The exceptions", "Vincent" (Donlinger), "Cetera", "Nyeholt" e "Herman" registraram vários singles pela "Capitol Records", mas "Cetera" pulou fora quando os outros membros expressaram o desejo de realizar mais material psicodélico. "Cetera" juntou-se a banda "The Big Thing", que depois tornou-se "Chicago Transit Authority" e mais tarde reduziu para apenas "Chicago". Em 1967 depois de recrutar "Bobby Jones" como o novo baixista, o grupo mudou seu nome para "Aorta", por um curto período também adicionaram "Hoagland" (nascido "Daniel Hoogland") no sax tenor. Com "Jim Donlinger" nos vocais, a banda gravou um single, "The Shape Of Things To Come", uma canção escrita por "Barry Mann" e "Cynthia Weil" que também foi incluída na trilha sonora do filme "Wild in the Streets" representado pelo grupo fictício "Max Frost and the Troopers". Depois disso "Aorta" assinou um contrato com "Dunwich Productions", uma empresa formada por "Bill Traut", eo single foi arrendado para lançamento pela "Atlantic Records".  Sob a gestão do produtor "Bill Traut", a banda assinou contrato com a "Columbia Records" para gravar seu primeiro LP que também foi produzido por "Donlinger". O álbum auto intitulado "Aorta", foi emitido no início de 1969, como parte de uma unidade da Columbia para promover "o som de Chicago". Nessa unidade estavam também "Chicago", "Illinois Speed Press", e "The Flock"  e chegou ao número 167 no ranking da revista "Billboard". O álbum foi descrito como um "registro surpreendente que mistura psicodelia, soul, jazz, folk e rock. "Aorta" era sólida por completo, com forte musicalidade, magia inventiva nas gravações de estúdio, excelentes canções com uma dose saudável de guitarra fuzz e maravilhosos arranjos de cordas. Nesse álbum podemos encontrar a faixa "Strange" (estranho) escrita por "Hoagland", antes de ter deixado a banda. A faixa "Ode to Missy Mxyzosptlk" alcançou vendas significativas. O grupo excursionou em turnês como apoio para bandas como "Led Zeppelin", "Janis Joplin" e "The Mothers of Invention", foi dada uma grande oportunidade de ser uma vitrine com intuito de impressionar os líderes da indústria da música no "Fillmore East", em Nova Iorque, no entanto, de acordo com "Donlinger", foi oferecido LSD pra banda por outros músicos antes do show, resultando em lhes dar o desastre de uma performance; que foi descrito como um "desastre de trem". "Jones", "Herman", "Donlinger", "Nyeholt" e "Tom" (baterista, irmão de "Donlinger"), juntou-se temporariamente com a banda "Rotary Connection", no entanto, eles então decidiram reformar a "Aorta", com os irmãos "Donlinger" e "Nyeholt" acrescentando "Michael Been" no baixo, guitarra e vocais. Em 1970 a banda gravou um segundo álbum, "Aorta 2", lançado pelo selo "Happy Tiger", em um estilo radicalmente diferente, inclinando-se mais para o "country rock" com conotações cristãs. Eles finalmente se separaram logo após esse lançamento. "Jim Donlinger" e "Michael Been", juntamente com o ex-membro "Marty Grebb" juntou-se à banda "Lovecraft" (anteriormente H. P. Lovecraft). Mais tarde "Michael Been" formou a banda "The Call" (A formação original da "Aorta" junto com um grande grupo da área de Chicago, o "Cryan 'Shames"). Mais tarde foi re-formada unicamente para fazer spots promocionais para as Forças Armadas dos Estados Unidos em um LP promocional muito raro. Seu primeiro álbum, "Aorta" de 1969, foi relançado em CD em 1996.
música no "Fillmore East", em Nova Iorque, no entanto, de acordo com "Donlinger", foi oferecido LSD pra banda por outros músicos antes do show, resultando em lhes dar o desastre de uma performance; que foi descrito como um "desastre de trem". "Jones", "Herman", "Donlinger", "Nyeholt" e "Tom" (baterista, irmão de "Donlinger"), juntou-se temporariamente com a banda "Rotary Connection", no entanto, eles então decidiram reformar a "Aorta", com os irmãos "Donlinger" e "Nyeholt" acrescentando "Michael Been" no baixo, guitarra e vocais. Em 1970 a banda gravou um segundo álbum, "Aorta 2", lançado pelo selo "Happy Tiger", em um estilo radicalmente diferente, inclinando-se mais para o "country rock" com conotações cristãs. Eles finalmente se separaram logo após esse lançamento. "Jim Donlinger" e "Michael Been", juntamente com o ex-membro "Marty Grebb" juntou-se à banda "Lovecraft" (anteriormente H. P. Lovecraft). Mais tarde "Michael Been" formou a banda "The Call" (A formação original da "Aorta" junto com um grande grupo da área de Chicago, o "Cryan 'Shames"). 
Mais tarde foi re-formada unicamente para fazer spots promocionais para as Forças Armadas dos Estados Unidos em um LP promocional muito raro. 
Seu primeiro álbum, "Aorta" de 1969, foi relançado em CD em 1996. 

"Aorta" foi uma banda psicodélica americana formada em 1962 na cidade de Rockford, Illinois-Chicago. A banda foi formada por "Kal David" e membros da banda "The Exceptions". Seus membros eram "Kal David" (nascido "David Raskin" - vocal e guitarra), "Peter Cetera" (baixo, vocais), "Denny Ebert" (bateria e vocal) e "Marty Grebb" (saxofone, teclados, guitarra e vocais). "Kal David" deixou a banda em 1965, para se juntar ao "Rovin 'Kind", que viria a ser depois o "Illinois Speed Press", e foi substituído por "James Vincent" (nascido "James Vincent Dondelinger", em Chicago, mais tarde conhecido como "Jim Donlinger"). A banda era então conhecida como "The Exceptions". Eles lançaram vários singles em selos locais, e um EP , Rock and Roll Mass , na etiqueta "Flair", antes de "Marty Grebb" ter saido para se juntar a "The Buckinghams", sendo substituído por "Jim Nyeholt". "Denny Ebert" também deixou a banda e foi substituído por "Billy Herman". Como "The exceptions", "Vincent" (Donlinger), "Cetera", "Nyeholt" e "Herman" registraram vários singles pela "Capitol Records", mas "Cetera" pulou fora quando os outros membros expressaram o desejo de realizar mais material psicodélico. "Cetera" juntou-se a banda "The Big Thing", que depois tornou-se "Chicago Transit Authority" e mais tarde reduziu para apenas "Chicago". Em 1967 depois de recrutar "Bobby Jones" como o novo baixista, o grupo mudou seu nome para "Aorta", por um curto período também adicionaram "Hoagland" (nascido "Daniel Hoogland") no sax tenor. Com "Jim Donlinger" nos vocais, a banda gravou um single, "The Shape Of Things To Come", uma canção escrita por "Barry Mann" e "Cynthia Weil" que também foi incluída na trilha sonora do filme "Wild in the Streets" representado pelo grupo fictício "Max Frost and the Troopers". Depois disso "Aorta" assinou um contrato com "Dunwich Productions", uma empresa formada por "Bill Traut", eo single foi arrendado para lançamento pela "Atlantic Records".  Sob a gestão do produtor "Bill Traut", a banda assinou contrato com a "Columbia Records" para gravar seu primeiro LP que também foi produzido por "Donlinger". O álbum auto intitulado "Aorta", foi emitido no início de 1969, como parte de uma unidade da Columbia para promover "o som de Chicago". Nessa unidade estavam também "Chicago", "Illinois Speed Press", e "The Flock"  e chegou ao número 167 no ranking da revista "Billboard". O álbum foi descrito como um "registro surpreendente que mistura psicodelia, soul, jazz, folk e rock. "Aorta" era sólida por completo, com forte musicalidade, magia inventiva nas gravações de estúdio, excelentes canções com uma dose saudável de guitarra fuzz e maravilhosos arranjos de cordas. Nesse álbum podemos encontrar a faixa "Strange" (estranho) escrita por "Hoagland", antes de ter deixado a banda. A faixa "Ode to Missy Mxyzosptlk" alcançou vendas significativas. O grupo excursionou em turnês como apoio para bandas como "Led Zeppelin", "Janis Joplin" e "The Mothers of Invention", foi dada uma grande oportunidade de ser uma vitrine com intuito de impressionar os líderes da indústria da música no "Fillmore East", em Nova Iorque, no entanto, de acordo com "Donlinger", foi oferecido LSD pra banda por outros músicos antes do show, resultando em lhes dar o desastre de uma performance; que foi descrito como um "desastre de trem". "Jones", "Herman", "Donlinger", "Nyeholt" e "Tom" (baterista, irmão de "Donlinger"), juntou-se temporariamente com a banda "Rotary Connection", no entanto, eles então decidiram reformar a "Aorta", com os irmãos "Donlinger" e "Nyeholt" acrescentando "Michael Been" no baixo, guitarra e vocais. Em 1970 a banda gravou um segundo álbum, "Aorta 2", lançado pelo selo "Happy Tiger", em um estilo radicalmente diferente, inclinando-se mais para o "country rock" com conotações cristãs. Eles finalmente se separaram logo após esse lançamento. "Jim Donlinger" e "Michael Been", juntamente com o ex-membro "Marty Grebb" juntou-se à banda "Lovecraft" (anteriormente H. P. Lovecraft). Mais tarde "Michael Been" formou a banda "The Call" (A formação original da "Aorta" junto com um grande grupo da área de Chicago, o "Cryan 'Shames"). Mais tarde foi re-formada unicamente para fazer spots promocionais para as Forças Armadas dos Estados Unidos em um LP promocional muito raro. Seu primeiro álbum, "Aorta" de 1969, foi relançado em CD em 1996. 
DISCOGRAFIA:
Álbuns de estúdio
1969 - Aorta
1970 - Aorta 2
Single´s
1968 - Shapes of Things to Come/Strange
1969 - Strange/Ode To Missy Mxyzosptlk
1970 - Sand Castles/Willie Jean



MAIS INFORMAÇÕES:

Aorta 1969
"Aorta" foi uma banda psicodélica americana formada em 1962 na cidade de Rockford, Illinois-Chicago. A banda foi formada por "Kal David" e membros da banda "The Exceptions". Seus membros eram "Kal David" (nascido "David Raskin" - vocal e guitarra), "Peter Cetera" (baixo, vocais), "Denny Ebert" (bateria e vocal) e "Marty Grebb" (saxofone, teclados, guitarra e vocais). "Kal David" deixou a banda em 1965, para se juntar ao "Rovin 'Kind", que viria a ser depois o "Illinois Speed Press", e foi substituído por "James Vincent" (nascido "James Vincent Dondelinger", em Chicago, mais tarde conhecido como "Jim Donlinger"). A banda era então conhecida como "The Exceptions". Eles lançaram vários singles em selos locais, e um EP , Rock and Roll Mass , na etiqueta "Flair", antes de "Marty Grebb" ter saido para se juntar a "The Buckinghams", sendo substituído por "Jim Nyeholt". "Denny Ebert" também deixou a banda e foi substituído por "Billy Herman". Como "The exceptions", "Vincent" (Donlinger), "Cetera", "Nyeholt" e "Herman" registraram vários singles pela "Capitol Records", mas "Cetera" pulou fora quando os outros membros expressaram o desejo de realizar mais material psicodélico. "Cetera" juntou-se a banda "The Big Thing", que depois tornou-se "Chicago Transit Authority" e mais tarde reduziu para apenas "Chicago". Em 1967 depois de recrutar "Bobby Jones" como o novo baixista, o grupo mudou seu nome para "Aorta", por um curto período também adicionaram "Hoagland" (nascido "Daniel Hoogland") no sax tenor. Com "Jim Donlinger" nos vocais, a banda gravou um single, "The Shape Of Things To Come", uma canção escrita por "Barry Mann" e "Cynthia Weil" que também foi incluída na trilha sonora do filme "Wild in the Streets" representado pelo grupo fictício "Max Frost and the Troopers". Depois disso "Aorta" assinou um contrato com "Dunwich Productions", uma empresa formada por "Bill Traut", eo single foi arrendado para lançamento pela "Atlantic Records".  Sob a gestão do produtor "Bill Traut", a banda assinou contrato com a "Columbia Records" para gravar seu primeiro LP que também foi produzido por "Donlinger". O álbum auto intitulado "Aorta", foi emitido no início de 1969, como parte de uma unidade da Columbia para promover "o som de Chicago". Nessa unidade estavam também "Chicago", "Illinois Speed Press", e "The Flock"  e chegou ao número 167 no ranking da revista "Billboard". O álbum foi descrito como um "registro surpreendente que mistura psicodelia, soul, jazz, folk e rock. "Aorta" era sólida por completo, com forte musicalidade, magia inventiva nas gravações de estúdio, excelentes canções com uma dose saudável de guitarra fuzz e maravilhosos arranjos de cordas. Nesse álbum podemos encontrar a faixa "Strange" (estranho) escrita por "Hoagland", antes de ter deixado a banda. A faixa "Ode to Missy Mxyzosptlk" alcançou vendas significativas. O grupo excursionou em turnês como apoio para bandas como "Led Zeppelin", "Janis Joplin" e "The Mothers of Invention", foi dada uma grande oportunidade de ser uma vitrine com intuito de impressionar os líderes da indústria da música no "Fillmore East", em Nova Iorque, no entanto, de acordo com "Donlinger", foi oferecido LSD pra banda por outros músicos antes do show, resultando em lhes dar o desastre de uma performance; que foi descrito como um "desastre de trem". "Jones", "Herman", "Donlinger", "Nyeholt" e "Tom" (baterista, irmão de "Donlinger"), juntou-se temporariamente com a banda "Rotary Connection", no entanto, eles então decidiram reformar a "Aorta", com os irmãos "Donlinger" e "Nyeholt" acrescentando "Michael Been" no baixo, guitarra e vocais. Em 1970 a banda gravou um segundo álbum, "Aorta 2", lançado pelo selo "Happy Tiger", em um estilo radicalmente diferente, inclinando-se mais para o "country rock" com conotações cristãs. Eles finalmente se separaram logo após esse lançamento. "Jim Donlinger" e "Michael Been", juntamente com o ex-membro "Marty Grebb" juntou-se à banda "Lovecraft" (anteriormente H. P. Lovecraft). Mais tarde "Michael Been" formou a banda "The Call" (A formação original da "Aorta" junto com um grande grupo da área de Chicago, o "Cryan 'Shames"). Mais tarde foi re-formada unicamente para fazer spots promocionais para as Forças Armadas dos Estados Unidos em um LP promocional muito raro. Seu primeiro álbum, "Aorta" de 1969, foi relançado em CD em 1996.
FAIXAS:
01-Mein Vein I (2:21)
02-What's In My Minds Eye (2:34)
03-Magic Bed (3:05)
04-Sleep Tight (2:40)
05-Main Vein II (1:38)
06-Sleep Tight (4:44)
07-Cathatyptic (3:53)
08-Main Vein III (0:47)
09-Sprinkle Road To Cork Street (2:58)
10-Ode To Missy Mxyzosptlk (3:26)
11-Strange (4:13)
12-Thoughts And Feelings (4:12)
13-Thoughts And Feelings (3:11)
14-Main Vein IV (1:13)
Total Time: 41:12

MEMBROS:
Peter Cetera -- vocals, bass 
Jim Donlinger -- vocals, lead guitar 
Billy Herman -- drums, backing vocals 
Jim Nyeholt -- keyboards 



Aorta2 1970
"Aorta" foi uma banda psicodélica americana formada em 1962 na cidade de Rockford, Illinois-Chicago. A banda foi formada por "Kal David" e membros da banda "The Exceptions". Seus membros eram "Kal David" (nascido "David Raskin" - vocal e guitarra), "Peter Cetera" (baixo, vocais), "Denny Ebert" (bateria e vocal) e "Marty Grebb" (saxofone, teclados, guitarra e vocais). "Kal David" deixou a banda em 1965, para se juntar ao "Rovin 'Kind", que viria a ser depois o "Illinois Speed Press", e foi substituído por "James Vincent" (nascido "James Vincent Dondelinger", em Chicago, mais tarde conhecido como "Jim Donlinger"). A banda era então conhecida como "The Exceptions". Eles lançaram vários singles em selos locais, e um EP , Rock and Roll Mass , na etiqueta "Flair", antes de "Marty Grebb" ter saido para se juntar a "The Buckinghams", sendo substituído por "Jim Nyeholt". "Denny Ebert" também deixou a banda e foi substituído por "Billy Herman". Como "The exceptions", "Vincent" (Donlinger), "Cetera", "Nyeholt" e "Herman" registraram vários singles pela "Capitol Records", mas "Cetera" pulou fora quando os outros membros expressaram o desejo de realizar mais material psicodélico. "Cetera" juntou-se a banda "The Big Thing", que depois tornou-se "Chicago Transit Authority" e mais tarde reduziu para apenas "Chicago". Em 1967 depois de recrutar "Bobby Jones" como o novo baixista, o grupo mudou seu nome para "Aorta", por um curto período também adicionaram "Hoagland" (nascido "Daniel Hoogland") no sax tenor. Com "Jim Donlinger" nos vocais, a banda gravou um single, "The Shape Of Things To Come", uma canção escrita por "Barry Mann" e "Cynthia Weil" que também foi incluída na trilha sonora do filme "Wild in the Streets" representado pelo grupo fictício "Max Frost and the Troopers". Depois disso "Aorta" assinou um contrato com "Dunwich Productions", uma empresa formada por "Bill Traut", eo single foi arrendado para lançamento pela "Atlantic Records".  Sob a gestão do produtor "Bill Traut", a banda assinou contrato com a "Columbia Records" para gravar seu primeiro LP que também foi produzido por "Donlinger". O álbum auto intitulado "Aorta", foi emitido no início de 1969, como parte de uma unidade da Columbia para promover "o som de Chicago". Nessa unidade estavam também "Chicago", "Illinois Speed Press", e "The Flock"  e chegou ao número 167 no ranking da revista "Billboard". O álbum foi descrito como um "registro surpreendente que mistura psicodelia, soul, jazz, folk e rock. "Aorta" era sólida por completo, com forte musicalidade, magia inventiva nas gravações de estúdio, excelentes canções com uma dose saudável de guitarra fuzz e maravilhosos arranjos de cordas. Nesse álbum podemos encontrar a faixa "Strange" (estranho) escrita por "Hoagland", antes de ter deixado a banda. A faixa "Ode to Missy Mxyzosptlk" alcançou vendas significativas. O grupo excursionou em turnês como apoio para bandas como "Led Zeppelin", "Janis Joplin" e "The Mothers of Invention", foi dada uma grande oportunidade de ser uma vitrine com intuito de impressionar os líderes da indústria da música no "Fillmore East", em Nova Iorque, no entanto, de acordo com "Donlinger", foi oferecido LSD pra banda por outros músicos antes do show, resultando em lhes dar o desastre de uma performance; que foi descrito como um "desastre de trem". "Jones", "Herman", "Donlinger", "Nyeholt" e "Tom" (baterista, irmão de "Donlinger"), juntou-se temporariamente com a banda "Rotary Connection", no entanto, eles então decidiram reformar a "Aorta", com os irmãos "Donlinger" e "Nyeholt" acrescentando "Michael Been" no baixo, guitarra e vocais. Em 1970 a banda gravou um segundo álbum, "Aorta 2", lançado pelo selo "Happy Tiger", em um estilo radicalmente diferente, inclinando-se mais para o "country rock" com conotações cristãs. Eles finalmente se separaram logo após esse lançamento. "Jim Donlinger" e "Michael Been", juntamente com o ex-membro "Marty Grebb" juntou-se à banda "Lovecraft" (anteriormente H. P. Lovecraft). Mais tarde "Michael Been" formou a banda "The Call" (A formação original da "Aorta" junto com um grande grupo da área de Chicago, o "Cryan 'Shames"). Mais tarde foi re-formada unicamente para fazer spots promocionais para as Forças Armadas dos Estados Unidos em um LP promocional muito raro. Seu primeiro álbum, "Aorta" de 1969, foi relançado em CD em 1996.
FAIXAS:
1-Willie Jean (3:03)
2-Little Bonnie (4:18)
3-Blythe Spirit (2:48)
4-Beg For His Forgiveness (4:55)
5-Egypt (4:05)
6-His Faith In Men (5:08)
7-Devil, Maggot & Son (2:50)
8-Sandcastles (2:54)
9-Pickin' Blues (3:12)
10-Fallin' Behind (3:24)
Total Time: 36:56

MEMBROS:
Michael Been - Bass, Acoustic Guitar, Vocals
Tom Donlinger - Drums, Bongos, Marimba, Congas, Percussion 
Jim Donlinger - Lead Guitar, Acoustic Guitar, Vocals
Jim Nyeholt - Piano, Organ
convidados
Howard Levy - Congas 
Michael Ayre - Congas 
Kenneth Elliot - Cowbell
George Edwards - Vocals (track 1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo !
Comente, opine, se expresse! esse espaço é seu!

Total de visualizações de página